terça-feira, 22 de janeiro de 2013

A maioria das pessoas são tão comuns quanto as outras. Querem ter um bom emprego, alguns amigos para compartilhar experiências no final do dia, ter um cachorro para não se sentir tão só nos dias em que ninguém te quer por perto. A maioria das pessoas querem construir algo, quem sabe, algo que possam chamar de seu. A maioria delas, nunca reparam nas pequenas coisas, elas se importam com o que irão vestir, comer, em que faculdade vão se graduar. Apesar de todas as coisas comuns, somos muito distintos. Alguns foram feitos para amar, outros só para verem a vida passar na janela, alguns só vegetam, não tem motivação para nada, e quão triste deve ser viver sem ter amor. Alguns acreditam em algo, firmemente, outros não acreditam em nada. Todos já sofreram perdas. Somos muito iguais nisso, a diferença está no que nos tornamos depois que deixamos ou somos deixados para trás. Eis o final de tudo, a maioria das pessoas tornam-se amargas, duras, meras cascas daquilo que um dia sonharam em ser, não tem prazer na vida. Triste é ver que, poucos são capazes de notar, que as flores mais bonitas, nascem nos terrenos mais sofridos.

(Autor Desconhecido)


2 comentários:

  1. Respostas
    1. Este texto é de uma verdade nua e crua. Concordo plenamente com ele.

      Obrigado pela simpática visita lá na Tenda das Palavras. Apareça sempre.

      Excluir

Demonstre-me seus sentimentos com palavras, ficarei lisongeada em lê-los.