quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

PONTO FINAL.

Vou colocar um ponto final nessa loucura criada por mentes doentias. Nada está certo, tudo é confuso e absurdo, completamente estranho. Esse amor maluco que nem ao menos existe, foi criado por cabeças irracionais e colocado em nossas bocas, assim, como dois bobos, repetimos constantemente, sem ao menos um brilho visível no olhar, emoção na voz ou tremor no decorrer do corpo ao ouvir a respiração de ambos sintonizados no descompasso. 
Há nada compreensível nessa história, exceto o mar de mentiras e falsidades transbordando ocultamente naquele coração desconhecido e sombrio, trancafiado por sete chaves, assim presumo, já que a verdade sobre aquela pessoa não me é revelada. Hoje há raiva, amanhã não é possível prever, mas tento, talvez esse seja o mal. Contudo algumas nuvens negras sobre os meus olhos distorciam a visão, proibiam-me de acreditar no que acontecia debaixo do nariz, assumo a culpa e o zelo por essas nuvens que me foram tão úteis até agora, eu queria assim, me poupar da triste realidade de que nada seria diferente, jamais viveria os sonhos já que são para serem sonhados. Ainda assim será tudo igual ou pior, mas hoje é dia do basta. Deixo agora as nuvens dentro do cesto de lixo, junto com esse coração oco e seu amor podre. Coloco um fim nessa história sem graça e irreal. Adeus e... ponto final.

(M. R. A.)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Demonstre-me seus sentimentos com palavras, ficarei lisongeada em lê-los.