sexta-feira, 15 de março de 2013

Sempre a mesma rotatividade... :S


E o fim é sempre o mesmo, todas sabemos, mas insistimos em alimentar a ideia de que "desta vez será diferente". Nunca é diferente, nada é diferente quando a questão é o pior. 

O lado ruim é sempre igual, ou pior, tudo de ruim acontece uma hora ou outra, só depende de você, mulher. Se deixar ser conquistada rápido, tão rapidamente será o chute no seu traseiro. Se é em nível moderado o processo de conquista, quando se efetivar e aquele canalha tiver certeza disso, tão logo você ficará no vácuo, olhando para o nada, outras vezes para a caixa de mensagens que foi visualizada à 2 horas e nada da resposta, sabe por que? 
Porque na sua cabecinha oca ele está sofrendo, pensando o que irá te responder, já que nessa sua mesma cabecinha doentia ele só curtiu 100000000000000000 fotos de popozudas para te fazer ciúmes porque se sentiu traído quando o seu amigo, aquele... o baixinho sem dentes, comentou um "oi" na sua imagem de perfil. E também na sua mente maníaca por resposta que o faça parecer a vítima da situação, enquanto você rala todos os dias conciliando trabalho com faculdade ele está vagabundeando das 7h da manhã até as 4h da madruga na internet fiscalizando o seu perfil. Olha mulher, só na sua cabeça mesmo, se interna ou pula da ponte.
     Mas enfim, se você se apaixonar de forma lenta, pior pra você. Pois assim que você estiver gamada e com muito mais lembranças atormentadoras na nostalgia do que se fosse uma mulher mais fácil ele já está no canteiro da vizinha recitando a mesma porcaria que disse no seu ouvido... Mas com a vizinha será diferente, claro, as vadias parecem ter mais sorte que as demais, ele estará falando tudo aquilo na cama, apaixonado pelo corpo amaciado dela... já que coisas usadas são mais confortáveis. 
Nesse momento ele já se cansou de você e prefere a vadia ou outras bobas que se apaixonarão das diversas maneiras, seja lenta, moderada ou rápida, independente do ritmo o fim será o mesmo, os resultados também: Mulheres chorando pelos cantos, nos ombros das amigas, sempre com aquela mesma balela "estou mais forte, é experiência, não caio mais nessa e blá blá blá..." até vir o próximo que a conquistará, claro, de uma forma mais lenta do que o anterior, pois agora ela está mais "madura", coitada. Mas nós aqui sabemos que quanto mais lento, pior. E ela vai sofrer e o ciclo vai continuar, a não ser que ela vire vizinha de alguém... Em todo caso, eu digo, o fim é sempre o mesmo... mulher apaixonada, ignorada e necessitada de discutir relação. O homem? Se nessa hora você o encontrar, me conte o final dessa reflexão, porque eu não sei e não o encontrei.

(M. R. A.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Demonstre-me seus sentimentos com palavras, ficarei lisongeada em lê-los.