domingo, 12 de maio de 2013

Havia algo...

Havia algo a mais naquele olhar, algo de diferente no ar daquele lugar inusitado. 
O encontro espontâneo mexeu no fundo dos sentimentos, acelerou o coração acordando os sentimentos adormecidos por imposição da razão.

"Garoto, você não percebe que meus olhos te procuram na multidão?
Será que é tão difícil notar como você mexe com os meus sentimentos simplesmente por existir?
Há três anos atrás você não deveria ter feito aquele pedido que me prejudicou tempos depois.
Você não deveria ter feito a proposta, por que algo não te fez sonhar comigo?
São tantas indagações e tantos sofrimentos que poderiam ser poupados...
As curtas conversas, e encontros inesperados nas constantes caminhadas pela atual estrada.
Vínhamos de encontro e meu desejo era te encontrar longe dali, distante daquele movimento infernal. Longe da realidade que esfregava na minha cara um pedido seu há exatamente três tristes anos.
Tudo poderia ser feliz, perfeito para mim, se eu possuísse mais sorte, agilidade ou se tivesse reservado um destino feliz ao seu lado antes de nascer..."

Tudo é tão confuso, triste... Por que há alguns anos atrás era eu quem gostaria de estar à sua frente, olhando nos seus olhos brilhantes, de um leve verde radiante, observando os seus lindos lábios fazendo uma pergunta que todas as mulheres do mundo sonhariam em ouvi-las de você. Logo, dos meus olhos sairiam gotas de felicidade formando um grande "Sim", e nesse momento os nossos lábios se encontrariam.
Mas eu não fui sortuda e hoje tudo não passa de utopia. Utopia minha.



Havia algo a mais naquele olhar, algo de diferente no ar daquele lugar inusitado, não sei o que. Talvez houve algo naquele momento. Algo. Algo que nunca existiu...

(M. R. A.)

Um comentário:

  1. Uau, que texto, um pouco triste confesso, mas todo sofrimento por maior que seja ele, um dia chega ao fim, e ai parece alguém que nos mostra que a felicidade está sempre batendo a porta!
    bjs

    ResponderExcluir

Demonstre-me seus sentimentos com palavras, ficarei lisongeada em lê-los.