quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Que loucura! Qualé?

Muita loucura e indecisão,
Te admirava, queria chamar a sua atenção,
Nunca me olhava, em alguns momentos me fazia de palhaça
Minha vida sem você perdia a graça...

Ficava lá, sozinha, minguando na solidão,
Culpa minha, me sujeitava a tal papelão
Esperando uma resposta, a sua decisão,
Eu sempre em segundo plano,
Por fim descobri que havia levado cano.

Um dia triste, recebi um sorriso,
Um moço bonito, me convidou para dançar,
Dançamos até o sol raiar,
Que loucura, encontrar alguém para amar!

Chorava pelos cantos de saudade, que tonteira!
Saudade de que mulher? De ser maltratada como uma qualquer?
Este agora te ama, bem te quer!
Esquece o malandro, esquece o mundo, convide-o para um picolé!
A vida é muito curta pra perder com mané!

(M. R. A.)



Um comentário:

  1. Delicioso, engraçado, verdadeiro, perfeito. Um (ou uma) mané (ou maneca) não vale tempo de vida. Tua tens uma graça especial em teus escritos, expões as verdades de uma forma direta, objetiva e ao mesmo tempo poética. Bellissimo. Beijosss

    ResponderExcluir

Demonstre-me seus sentimentos com palavras, ficarei lisongeada em lê-los.