sexta-feira, 2 de maio de 2014

Lembranças cinzas de um tempo colorido



Como dizer que aqueles momentos foram tão importantes?
Momentos distantes, cheio de cores?
Bastou um deslize, tudo desmoronou.
E em meio a cores um pingo escuro transbordou...

Tudo é tão cinza, tão frio...
Meus dias sem o seu "olá" é vazio,
Não sou mais quem costumava ser,
De repente tudo se acaba, o que devo fazer?

Se hoje fecho os olhos, são as lembranças que vejo
Lembranças de sonhos, agora em vão
Criadas para ter vivido no futuro,
Futuro que o presente apagou.


(M.R.A.)



3 comentários:

  1. Viver é, um a um, ver desabarem os "parasempres".
    GK

    ResponderExcluir
  2. A melancolia cadenciada em rimas desse poema toca o coração de uma forma única. Lembrei-me de um poema de despedida que tentei fazer e não fiz, porque não soube. Mas tu sabes, tu soubeste. O adeus a um relacionamento é exatamente esse pingo escuro que transborda do que possuiu todas as cores... Que verso belo! Perfeito! Ensina-me a escrever poesia, vá?! Não é necessário que seja como esse poema belíssimo, mas ao menos que poesia seja. Vá! Belíssimo. Beijosssssss

    ResponderExcluir
  3. Bom dia.. chego aqui através do blog do Lucas aqui acima..
    o que mais nos machuca são as frustrações de sonhos de amor que preenchem as paredes da nossa alma como quadros em branco e preto numa sala vazia..
    já passei momentos assim e só o que me restou deles foram versos e obras para desafogar meu interior.. muito belos os teus versos..
    não sei se vou conseguir te seguir pois meu blog só tá dando problema.. mas add mesmo assim
    lapidandoversos.blogspot.com.br
    até sempre bjs

    ResponderExcluir

Demonstre-me seus sentimentos com palavras, ficarei lisongeada em lê-los.